entenda mais sobre Saúde financeira e necessidades básicas!

Necessidades básicas e a saúde financeira!

Saúde financeira: entenda melhor e como garantir uma boa relação com o dinheiro

Uma pessoa que pode ser considerada saudável normalmente apresenta uma saúde física, raramente tem enfermidades e conta com motivação e alegria para executar sua rotina diária.

Ela é habituada a se alimentar bem, dormir o necessário, praticar exercícios e ter momentos agradáveis com a família e os amigos sem que seja necessário deixar os pequenos prazeres de lado. A saúde financeira é bem parecida, entretanto, com o foco voltado às finanças e não ao corpo.

Se você deseja saber por que manter bons hábitos financeiros são essenciais para ter equilíbrio em sua vida, desenvolver relações saudáveis, atingir seus objetivos e ser feliz, neste post vamos mostrar 10 dicas valiosas para ter uma relação boa com o dinheiro. Boa leitura!

Características da saúde financeira

A saúde financeira está diretamente relacionada com os hábitos e condutas que conduzem a relação particular que temos com o dinheiro. Esse tipo de bem-estar pode ser considerado fundamental para a vida do ser humano e a base responsável que dá suporte para outros aspectos da vida: físico, mental e social.

É possível afirmar que uma pessoa está com a saúde financeira em dia, quando suas finanças estão equilibradas e existe o sentimento de segurança e calma no seu dia a dia. Ela é capaz de cumprir com o pagamento de suas despesas, ficar organizada para despesas inesperadas — sem se esquecer de se preparar para a aposentadoria.

Dicas de como melhorar a saúde financeira

É muito normal encontrar pessoas que não tenham conhecimento do seu real estado financeiro. Muitas vezes não sabem quanto será sua remuneração e não têm controle sobre o quanto gastarão no mês.

Esse tipo de conduta pode ocasionar vários prejuízos, como ansiedade, apreensão excessiva, insônia, brigas entre a família, afastamento social, baixa produtividade no trabalho, estresse constante, doenças físicas ocasionadas pelo estresse e endividamento.

Acontece que a saúde financeira, física e mental estão diretamente ligadas e caminham juntas, já que uma acaba impactando a outra. Podemos perceber, então, como a falta de organização financeira pode gerar graves consequências na vida de qualquer pessoa.

A saúde financeira da estrutura para se ter qualidade de vida, pois com o dinheiro é possível ter uma alimentação adequada, pagar médicos e remédios, quitar as contas de casa, além de possibilitar tranquilidade e boas noites de sono.

Vamos listar as melhores medidas que podem auxiliar na organização da sua saúde financeira. Confira!

1. Faça um diagnóstico

Inicialmente é necessário que você saiba como está a sua situação financeira e identifique o que o levou a este estado. Caso seja preciso, é possível procurar um especialista ou até mesmo soluções na internet.

Por exemplo, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) dispõe de um questionário on-line para descobrir o Índice de Saúde Financeira. Respondendo corretamente é possível ter uma ideia objetiva do que será necessário para chegar ao sucesso financeiro.

Inclusive, você também poderá comparar o seu resultado com a média nacional que não é alta: 57 pontos em uma classificação que vai de 0 a 100.

2. Defina o orçamento

Estabelecer um orçamento é uma das principais atitudes mais básicas e importantes para o bem-estar financeiro. Tal ferramenta é empregada por pessoas, companhias e até mesmo países que organizam seus gastos, identificam onde estão indo e, caso seja necessário, mudam a sua estratégia financeira.

Para o seu orçamento ser eficiente, é preciso levar em conta os seus costumes atuais antes de organizar o futuro. Isso proporciona uma visão mais ampla e clara dos itens nos quais você obrigatoriamente deve gastar, como o aluguel, impostos, alimentação e outras despesas essenciais.

3. Saiba diferenciar necessidade de desejo

Tenha em mente que para fazer boas escolhas de onde gastar o seu dinheiro, é indispensável conseguir distinguir suas reais necessidades daquilo que é supérfluo ou apenas desejos. Primeiramente, considere aquilo que é prioridade, sobretudo para a sua sobrevivência.

Em alguns casos, é comum confundir a compra de roupas e sapatos como uma necessidade, e não está errado. No entanto, gastar em excesso com esse tipo de produto ou preferir aquelas marcas que fogem do seu poder de compra não vai trazer tantos benefícios assim, não é mesmo?

4. Pague as dívidas

Se você está com uma grande quantidade de dívidas e algumas com juros, como cartões de crédito atrasados e/ou financiamentos, é importante dar preferência de pagamento para aquelas que geram juros e, posteriormente, para os demais débitos, buscando sempre eliminar todas essas contas.

É possível desenvolver um plano para diminuir as suas dívidas, como concentrar os gastos de cartão de crédito em um único cartão, por exemplo. O importante é que você consiga efetuar os pagamentos e não faça dívidas que poderão desestabilizar o orçamento.

5. Crie um fundo de reserva

O fundo de reserva, ou fundo de emergência, é uma porcentagem do salário definida de acordo com cada pessoa, que é guardada com o objetivo de cobrir despesas inesperadas que possam surgir diante de uma emergência. Um bom exemplo é o caso de uma doença, o conserto de um carro que é ferramenta de trabalho ou até mesmo o desemprego.

É fundamental ter um fundo de reserva para que seja possível cobrir as despesas necessárias que ultrapassam o seu orçamento mensal, sem precisar se endividar para isso. Mas lembre-se de que a reserva é exclusiva para gastos de emergência!

6. Tenha mais de uma fonte de renda

Caso a sua renda não seja suficiente para pagar suas despesas básicas, será necessário buscar uma segunda fonte de renda ou um novo emprego que pague mais. No caso da primeira opção, existem diversas oportunidades para se adaptar e conquistar uma remuneração a mais.

Há várias formas de ganhar dinheiro na internet, seja montando uma loja on-line em uma plataforma de e-commerce, prestando serviços para outras empresas, entre diversas outras maneiras. Mas se não tiver afinidade com esse tipo de serviço, busque oportunidades naquilo que sabe fazer.

No mercado existem inúmeros negócios que preferem realizar a contratação de profissionais freelancers, como restaurantes para trabalhar como garçom, agências de marketing, empresas da área de tecnologia. O importante é conseguir uma renda a mais para suprir as suas necessidades financeiras ou para investir.

7. Faça planos de curto, médio e longo prazo

É normal que muitas pessoas tenham dificuldades em se restabelecer financeiramente e se organizar para o futuro, e em muitos casos é comum desistirem no meio do caminho por não enxergarem o sucesso que estão tendo ou os benefícios que a boa saúde financeira traz.

Por esse motivo, ao estabelecer em sua vida o desejo de mudança, faça planos de curto, médio e longo prazo. Ao efetuar o seu diagnóstico, aproveite para incluir os seus sonhos e o que busca adquirir, por exemplo, uma casa, um carro, a troca de automóvel, uma viagem ou um curso.

Ao definir os seus objetivos para obter uma tranquilidade financeira, comece a se organizar para cumprir seus planos, iniciando com aqueles mais fáceis a curto prazo e depois aqueles a longo prazo. Sempre procurando não se endividar novamente ou gastar além do que pode pagar!

8. Evite parcelamentos

Para conseguir um controle financeiro pessoal eficaz, é necessário além de tudo evitar o excesso de compras parceladas. Isso porque no início pode parecer confortável adquirir algo e pagar em pequenas prestações, porém, com o exagero dessas compras, o limite do cartão vai sendo ocupado, podendo inclusive chegar ao máximo.

Caso surja alguma necessidade de emergência, pode ser que você não consiga atender a essa necessidade ou já esteja no limite do seu orçamento por acúmulo de contas atrasadas.

9. Tenha cuidado ao usar o cartão de crédito

Passar o cartão de crédito sem calcular o seu poder de compra e restringir limites pode ser um problema, pois o cartão te dá um poder muito grande e acaba influenciando o seu psicológico a gastar mais, sem contar nos juros altíssimos e custos de manutenção. Por isso, se puder, evite utilizá-lo ou só use-o em momentos necessários.

10. Invista em educação financeira

Procure aprender sobre educação financeira e, se possível, envolva as outras pessoas da sua família, buscando boas referências de como otimizar a saúde financeira de todos. Além de aprender sobre como lidar melhor com o dinheiro, será possível aprender também como investir e multiplicar o seu dinheiro.

Em um primeiro contato, o mercado financeiro pode parecer complexo demais, mas você não precisa se preocupar em ser um expert no assunto para ter bons resultados.

Importância de ter consciência financeira

As pessoas que têm uma saúde financeira adequada não estão livres de encontrar obstáculos em suas vidas, mas estão melhor preparadas para superá-los.

Como ela influencia diretamente a saúde mental e o bem-estar, é importante ter o equilíbrio das finanças para obter consequentemente mais segurança ao fazer escolhas, liberdade para usufruir do seu dinheiro de maneira consciente e traçar planos para um futuro melhor.

Em resumo, ter uma vida financeira saudável está diretamente ligado com saber lidar com o dinheiro. Não significa ser rico, mas fazer escolhas inteligentes e de acordo com o seu padrão de vida.

Precisando reorganizar a vida financeira? Utilize nosso simulador de empréstimo e crédito!

Está precisando de uma mãozinha para dar aquela guinada na vida? Simule já, sem compromisso, um empréstimo pessoal online na SuperSim, resolva suas pendências e pague parcelado:

 

Simular Empréstimo

 

Tags do post

Escrito por:
caio
Você também vai gostar: