dinheiro online ou cheque?

O que é melhor: cheque especial ou empréstimo?

Um herói que pode se tornar um grande vilão caso seja utilizado de forma errada é o cheque especial. Afinal, ele impacta diretamente o orçamento familiar e pode se transformar em uma bola de neve.

Com um expressivo poder de influenciar toda a gestão financeira de uma pessoa, é fundamental compreender as suas consequências e saber por que esse recurso é tão perigoso.

Sendo assim, podemos antecipar que é essencial que você fuja ao máximo de “entrar no cheque especial”. Na verdade, o indispensável é que, em situações de emergência, você utilize um fundo de reserva — uma reserva particular de dinheiro. Entretanto, não são todas as pessoas que conseguem guardar essa quantia de maneira eficiente e tão eficaz.

Pensando nisso, nós vamos compartilhar neste artigo detalhes sobre o que é cheque especial, como ele funciona, como são calculados os juros e mais. Confira!

O que é cheque especial?

O conhecido cheque especial trata-se de um empréstimo pré-aprovado que fica à disposição do usuário em sua conta corrente bancária para utilização. Normalmente, a grande maioria das contas inclui esse benefício, porém, graças à facilidade em obter esse dinheiro, as taxas de juros aplicadas a esse tipo de crédito são muito altas.

Isso acontece por uma razão muito simples: esse é um dinheiro do qual você não dispõe e o banco o emprestará quando você quiser e precisar. Contudo, a instituição financeira não conhece a sua capacidade de quitar essa dívida e é exatamente essa dúvida que faz as taxas de juros serem tão altas e deixa essa linha de crédito tão cara.

Como dito antes, utilizar esse limite sem responsabilidade pode torná-lo um vilão do seu orçamento familiar, ou o seu salvador, dependendo de como esse dinheiro será empregado e do tempo que você demorará para pagar o banco.

Quando o saldo da sua conta corrente fica negativo, quer dizer que você entrou no cheque especial. Por isso, tenha atenção, já que os juros passam a ser cobrados e podem gerar valores altíssimos.

Como funciona na prática?

O recebimento do cheque especial pode acontecer de maneiras distintas dependendo do banco. De forma simples, a utilização do crédito é automático, ou seja: se você possuía R$ 300 na conta e passou R$ 350 no débito, caso tenha limite disponível, acabou entrando no cheque especial com R$ 50.

Dependendo da quantidade de dias em que a sua conta permanecer negativa nos R$ 50, serão cobrados taxas e juros específicos. Nesse caso, as quantias serão deduzidas da conta do cliente quando existir um saldo disponível.

Ainda é essencial destacar uma questão. Embora alguns bancos proporcionem situações de isenção de tarifas, será cobrado o valor do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Ele é aplicado sobre todos os empréstimos em qualquer banco, portanto, fique atento!

Como os juros do cheque especial são calculados na prática? O que é considerado?

O cálculo dos juros do cheque especial é executado todos os dias e a taxa varia conforme cada instituição financeira. Caso queira, as taxas de cada banco podem ser verificadas no site do Banco Central ou na página do próprio banco.

No dia 1, a taxa é aplicada sobre o valor total devido; já no dia 2, incide sobre o valor inicial mais os juros do dia 1, e assim por diante. Isso resulta em juros sobre juros e, consequentemente, em um custo muito alto.

Entretanto, mesmo que nos dias iniciais você não pague os juros aplicados, é importante saber que, assim que se inicia a utilização do limite, a instituição financeira faz a cobrança do IOF (Imposto sobre Operação Financeira). Essa taxa é um valor determinado pelo governo pela utilização de crédito.

Para saber a quantia cobrada diariamente e o quanto você pagará pelo uso é simples: divida a taxa de juros mensal que é usada pelo seu banco pelo número de dias úteis do mês. Assim, você terá a porcentagem diária.

Exemplos práticos de cálculo

Se os juros forem de 8% ao mês, em um cheque especial de renovação mensal começando no dia 1 em um mês com 20 dias úteis, divida os 8% por 20, chegando ao resultado de 0,40% de juros por dia útil. Agora, se quiser calcular a taxa de juros do cheque especial sobre o valor nos dias utilizados, é necessário saber o valor do limite que está sendo usado, a quantidade de dias de utilização do crédito e a taxa diária de juros — resultado do cálculo anterior —, e, então, é só fazer uma multiplicação com todos os fatores.

Por exemplo: se você utilizar R$ 100 do limite especial por dez dias e o seu banco praticar uma taxa de juros de 8% ao mês, em um mês de 20 dias úteis, você pagará:

R$ 100,00 x 10 x 0,40% (ou utilize “x 0,0040” na calculadora simples) = R$ 13 de juros

Ainda, se você não quiser fazer o cálculo das taxas do cheque especial, existe uma maneira muito simples e rápida para ter acesso ao resultado. Normalmente, os bancos disponibilizam calculadoras em seus sites ou aplicativos, então, basta acessá-los para ficar por dentro do que precisará pagar.

Quando é válido usar o cheque especial?

Mesmo que as taxas do crédito especial sejam uma das mais elevadas do mercado, existem ocasiões em que o uso pode ser necessário, mas apenas em situações emergenciais. O mais importante é usar somente pelo período de carência de taxas que os bancos oferecem — normalmente dez dias — e, antes que chegue ao final do prazo, repor o valor total utilizado.

Em algumas circunstâncias, vale mais a pena buscar uma alternativa de crédito mais favorável, como o empréstimo online com garantia. Ao deixar um bem como garantia, é possível conseguir taxas melhores e que caberão no seu bolso.

Quais são as suas desvantagens?

Assim como outros produtos financeiros, o cheque especial apresenta benefícios, mas é preciso ter cuidado para fugir do endividamento. Conheça, a seguir, as principais desvantagens:

Não conhecer os juros que são cobrados, assim como não fazer a comparação das vantagens que são oferecidas pelas diferentes instituições financeiras na hora de abrir a sua conta, pode ser um fator que acaba influenciando a má utilização e provocando o agravamento da situação financeira.

Quais são as outras possibilidades em casos de necessidade de dinheiro rápido?

A seguir, conheça opções para garantir um dinheiro rápido pagando uma porcentagem menor de juros.

Empréstimo consignado

O empréstimo consignado costuma oferecer as melhores taxas de juros, sendo considerado o mais barato. Sua porcentagem de juros gira em torno de 1,22% e 6,27% ao mês.

Como as parcelas são descontadas diretamente do salário do contratante, é como se o empréstimo tivesse uma garantia. Dessa forma, torna-se possível oferecer taxas mais atrativas.

Empréstimo com garantia

Caso você tenha um carro ou uma casa, é possível fazer a aquisição de um empréstimo com garantia de bens. Como dito, esse formato de contrato possibilita a redução das taxas de juros. Assim, o banco tem a certeza de que receberá o pagamento.

Os juros para esse tipo de empréstimo chegam em média a 1,5% ao mês, dependendo da instituição financeira contratada.

Empréstimo pessoal

Conforme o valor de que você necessita, o empréstimo pessoal pode ser uma boa alternativa. Isso porque, mesmo que não se tenha garantia, a porcentagem média cobrada pelos bancos gira em torno de 4%.

Não se trata de uma taxa tão baixa quanto o consignado, mas, mesmo assim, é mais baixa que a do cheque especial.

Como escolher a melhor opção?

Baseando-se em todas as informações que trouxemos até o momento, será necessário que você analise a situação que está vivendo para determinar qual tipo de contrato atende melhor à sua realidade: o cheque especial ou o empréstimo.

Por exemplo, se você tem a certeza de que terá o dinheiro para quitar seus débitos num pequeno espaço de tempo, como alguns dias, é claro que o cheque especial pode ser uma opção a ser levada em conta. Sob outra perspectiva, se você for precisar de mais tempo para conseguir o dinheiro da quitação, o crédito é a melhor opção.

É essencial levar em conta qual é a sua disposição para pagar taxas de juros e organizar um bom controle financeiro para pagar as parcelas do crédito obtido. Você também tem a possibilidade de analisar outras oportunidades para obter valores além do cheque especial ou do empréstimo, como a antecipação do Imposto de Renda (IR) ou a penhora de bens.

Além desses, se você estiver buscando dinheiro para fazer o pagamento de alguma fatura de cartão de crédito, é possível fazer o seu parcelamento. No entanto, vale lembrar que é bom ter cuidado para não se endividar novamente e gerar uma bola de neve.

Como podemos perceber, existem prós e contras nas duas opções. Por isso, pense com responsabilidade na dívida e no seu salário, calcule, analise as vantagens e as desvantagens e escolha a melhor opção de acordo com o contexto em que se encontra.

Agora que você já entende a fundo o que é cheque especial, caso seja necessário buscar por outra opção que seja melhor, faça a simulação de crédito pessoal online. Essa pode ser a chance de você sair das dívidas de uma vez por todas.

Está precisando de uma mãozinha para dar aquela guinada na vida? Simule já, sem compromisso, um empréstimo pessoal online na SuperSim:

 

Simular Empréstimo

 

Tags do post

Escrito por:
caio
Você também vai gostar: